Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Covid-19 > Edição especial do boletim do Observatório da Epidemia apresenta projeções sobre contágio de covid-19 na região
Início do conteúdo da página

Edição especial do boletim do Observatório da Epidemia apresenta projeções sobre contágio de covid-19 na região

  • Escrito por Heleno Rocha Nazário
  • Publicado: Segunda, 20 de Julho de 2020, 17h32
  • Última atualização em Quarta, 22 de Julho de 2020, 14h24
  • Acessos: 1026

capa boletim cec especial 20 07 2020O Observatório da Epidemia do Novo Coronavírus no Sul da Bahia, iniciativa do Comitê Emergencial de Crise da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), divulgou nesta segunda-feira (20) edição especial do boletim informativo. Em geral, o boletim informa a análise da evolução da pandemia na região. A edição especial tem a diferença de apresentar uma simulação para as cinco maiores cidades do sul da Bahia, supondo diferentes níveis de supressão de fluxo de pessoas. O estudo foi elaborado pelo matemático Fabrício Berton Zanchi e pelo bioquímico Orlando Ernesto Jorquera Cortes, professores da UFSB (Campus Sosígenes Costa). Conforme o boletim, as estimativas não necessariamente vão se concretizar, uma vez que os cálculos realizados se baseiam em parâmetros que variam ao longo do tempo, como as taxas de contágio e de letalidade, dependendo da qualidade dos dados oficiais e de como cada município age frente à situação.

As projeções feitas pelos cientistas são equações diferenciais que usam as informações disponíveis no momento para buscar entender as possibilidades, no caso, fazer uma estimativa do que pode ocorrer se o contágio continuar no ritmo atual e que diferença as atitudes de enfrentamento fazem nesses cenários. Os professores trabalharam com um modelo SEIRD, que utiliza cinco compartimentos – Susceptíveis (S), Expostos (E), Infectados (I), Recuperados (R) e Óbitos (D) – e os seguintes parâmetros: tamanho da população, período de incubação, número de casos e óbitos, taxa de contágio, taxa de letalidade e tempo que uma pessoa leva para se recuperar. Com resultados preocupantes, os autores simularam a pandemia em três cenários: sem restrição ao fluxo (mobilidade total), mantendo o atual esforço de supressão de fluxo de pessoas (quarentena flexível) e um cenário restritivo próximo do lockdown. 

O documento pode ser baixado e consultado na íntegra neste link ou clicando na imagem.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página