Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > DACE > CQV > Setor de Promoção à Saúde Estudantil > Notícias > 09 de maio de 2021 - Dia das mães na UFSB
Início do conteúdo da página
Notícias - Promoção à Saúde Estudantil

09 de maio de 2021 - Dia das mães na UFSB

  • Publicado: Sexta, 07 de Maio de 2021, 14h02
  • Última atualização em Sexta, 07 de Maio de 2021, 15h46
  • Acessos: 483

WhatsApp Image 2021 05 07 at 13.42.55 1

 

Dia das mães na UFSB

Para celebrar o Dia das Mães de 2021, o Setor de Promoção à Saúde Estudantil, da Coordenação de Qualidade de Vida/PROAF, construiu atividade que envolveu a participação das estudantes-mães da UFSB. Por meio de questionário Google Forms, pedimos às nossas estudantes-mães que respondessem à seguinte questão: Quando falamos sobre "ser estudante-mãe", quais são as três primeiras palavras que lhe vêm à mente? A metodologia da atividade foi inspirada no Teste de Associação Livre de Palavras (TALP), técnica muito utilizada em pesquisas qualitativas que tratam da Teoria das Representações Sociais.

No total, 126 estudantes-mães participaram. As palavras evocadas compuseram a nuvem de palavras que hoje apresentamos. Os elementos centrais foram os termos mais evocados e os periféricos os que tiveram menos citação.  A palavra AMOR aparece em destaque - sendo evocada 38 vezes - seguida de: desafio, dedicação, dificuldade, responsabilidade, superação, persistência, força, exemplo e determinação.

Numa rápida análise das informações, percebemos a multiplicidade de significados que permeiam o sentido de ser estudante-mãe. Entendemos que, embora a maternidade seja, em essência, sinônimo de amor, não podemos romantiza-la. Em ambiente universitário, inéditos desafios surgem, constantemente, para a estudante-mãe e que demandam extrema persistência, dedicação, resiliência e coragem. São milhares de percursos acadêmicos marcados por solidão, lágrimas, silenciamento e descaso.

Neste dia, estimulamos reflexões quanto a necessidade de pensar e fazer políticas que olhem para as mães que estão na Universidade. Lutemos pela desconstrução de uma lógica machista que, muitas vezes, menospreza ou anula as demandas maternas, rotulando necessidades reais como exagero ou vitimismo. Em nome de todas as nossas estudantes, professoras, técnicas-administrativas e terceirizadas que são mães, pedimos por empatia, respeito, acolhimento e direitos.

Fim do conteúdo da página