Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

[CSC] I Jornada do Novembro Negro da UFSB

Publicado: Quarta, 09 de Outubro de 2019, 18h17 | Última atualização em Segunda, 11 de Novembro de 2019, 11h46 | Acessos: 2403

Cartaz Oficial I JornadaO que: I Jornada do Novembro Negro da Universidade Federal do Sul da Bahia

Quando: 18 a 23 de novembro de 2019

Onde: Campus Sosígenes Costa, Porto Seguro, Bahia

 

 

I JORNADA DO NOVEMBRO NEGRO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA

A I Jornada do Novembro Negro organizada pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino e Relações Étnico-Raciais acontecerá de 18 a 23 de novembro de 2019, no Campus Sosígenes Costa da Universidade Federal do Sul da Bahia, localizado em Porto Seguro, Bahia.

A Jornada ocorrerá no mês comemorativo da Consciência Negra, alusivo à imortalidade de Zumbi dos Palmares, mito fundador da luta antirracista e pela vida da Maioria Minorizada no Brasil e será dedicado especialmente ao tema Pensamento Negro Contemporâneo Insurgente.

Observe-se que apesar do simbolismo atribuído ao mês de novembro pela passagem do Dia da Consciência Negra, é preciso pontuar que o enfrentamento ao racismo deve ser pauta cotidiana de toda a sociedade brasileira.

A I Jornada busca mobilizar a comunidade acadêmica, a rede pública de ensino e a sociedade do Extremo Sul da Bahia para dialogar e debater sobre a educação étnico-racial, situações de racismo que atravessam a comunidade acadêmica, seu entorno e o país e as estratégias antirracistas formuladas na academia, nas escolas e nas ruas.

A I Jornada do Novembro Negro será realizada também na sede de entidades parceiras como a Abayomi, Brasil Chama África e algumas escolas públicas da região.

É um projeto que em sua primeira edição será executado no Campus Sosígenes Costa, em Porto Seguro, mas que pretende, em suas próximas edições, ser institucionalizado como uma atividade de todo o Programa de Pós-Graduação em Ensino e Relações Étnico-Raciais com capacidade de aglutinar as atividades comemorativas do Mês da Consciência Negra na UFSB.

  

ESTRUTURA

A I Jornada do Novembro Negro será composta por mesas redondas que terão como objetivo a reflexão e o debate de temas contemporâneos relacionados ao Ensino e Relações Étnico-Raciais como a produção teórica de intelectuais negras e negros, os desafios para uma educação antirracista, o papel da mídia na educação, medidas de ações afirmativas na educação, imperialismos e descolonizações. As mesas serão formadas por docentes, pesquisadores e gestores que desenvolvam trabalho sobre o tema.

Minicursos e oficinas que contarão com sessões diálogos sobre temas relativos ao objetivo geral do evento, e terão como objetivo aproximar o PPGER do território levando temas relevantes para o Ensino das Relações Étnico-Raciais para a Rede de Ensino local e para os movimentos sociais. Os minicursos e oficinas ocorrerão nos períodos da manhã e tarde no Campus de Porto Seguro e/ou na sede dos parceiros do evento. Os cursos serão oferecidos por docentes e discentes do PPGER e demais cursos da UFSB.

Para a exposição e apresentações artísticas teremos o VarandAfro que será um espaço permanente de socialização com a previsão de realização de  shows, performances, teatro, instalações, cinema, feiras, etc. O VarandAfro estará em funcionamento no período da noite.

Haverá ainda lançamento de livros relacionados à temática de Ensino e Relações Étnico-raciais e ao Mês da Consciência Negra.

Durante a I Jornada do Novembro Negro será realizado o I Colóquio de Pesquisa Negra Contemporânea. A sessão científica tem como objetivo estimular a produção no campo do Ensino e Relações Étnico-Raciais e se converter num espaço para promoção e produção intelectual dos discentes e docentes do PPGER e da UFSB e de docentes e parceiros do Território Sul da Bahia.

 

PROGRAMAÇÃO ATUALIZADA

Mesa Comunicação

 

Programação I Jornada

 

PROFESSORA DA UFSB LANÇA LIVRO DURANTE A 1º JORNADA DO NOVEMBRO NEGRO

Livro Profa. Maria do CarmoA professora Maria do Carmo Rebouças, baiana, doutora em Desenvolvimento Sociedade e Cooperação Internacional pela Universidade de Brasília, com longa experiência na área internacional do desenvolvimento e dos direitos humanos, tendo coordenado diversos projetos de Cooperação Sul – Sul em direitos humanos entre Brasil, África e América Latina, e atuado como advogada da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA), em Washington D.C. lança na Universidade Federal do Sul da Bahia, em Porto Seguro o livro: “Guiné-Bissau: da independência colonial à dependência da cooperação internacional para o desenvolvimento”, Editora Gramma, 2019. O livro é fruto de suas pesquisas acadêmicas e de suas atuações na área.

A obra retrata o processo em que o país africano com uma das mais bem sucedidas e reconhecidas estratégias de luta pela independência colonialista foi recolonizado por meio da cooperação internacional.

A história de Guiné-Bissau independente se confunde com a história da ajuda externa ao país e nesse sentido, a trajetória de desenvolvimento de Guiné-Bissau pode ser traçada a partir de uma total dependência da ajuda internacional que no pós-independência viveu seu apogeu, entrando em declínio a partir dos anos de 1980, em razão dos sucessivos momentos de instabilidade política, do fracasso dos programas de ajuste estrutural e de redução da pobreza do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional e pelo endividamento externo, agravados pelos sucessivos rótulos de Estado falido – pela instabilidade política, baixo desempenho econômico e tráfico de drogas – realizados por essas mesmas instituições.

O sistemático exercício de rotulação promovido, sobretudo, por aquelas instituições e determinadas agências da ONU e o endividamento externo têm moldado a realidade de Guiné-Bissau, determinado os modelos e estratégias de cooperação internacional e ignorado os processos internos de construção do Estado, obstaculizando, inclusive, a democratização e o desenvolvimento que essa mesma comunidade da ajuda procura promover.

Guiné-Bissau: da independência colonial à dependência à dependência da Cooperação Internacional para o Desenvolvimento, buscar retratar essa história que se insere no marco de uma contribuição diaspórica, onde busco colaborar para a construção de conhecimento no campo de estudos críticos do desenvolvimento, oferecendo ao leitor e à leitora uma análise empírica e teórica da cooperação internacional para o desenvolvimento com vistas a compreendê-lo e identificar caminhos para uma práxis de desenvolvimento emancipatória.

Serviço:

Livro - Guiné-Bissau: da independência colonial à dependência da cooperação internacional para o desenvolvimento, Editora Gramma, 2019. Lançamento - Dia 18/Nov/2019 19 horas. Campus Sosígenes Costa – UFSN- Porto Seguro.  Atividade da I Jornada do Novembro Negro da UFSB.

Valor – R$50,00

 

SOBRE O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS

O PPGER é um Programa de Pós-Graduação com Mestrado Profissional vinculado ao Instituto de Humanidades Artes e Ciências do Campus Sosígenes Costa. É um programa voltado para o estudo das práticas para o ensino das relações étnico-raciais englobando as construções pós e decoloniais e as perspectivas afro-indígenas. Compreende a formação de professores e professoras como espaço dessa temática em uma perspectiva interseccional com os estudos de gênero, classe e interculturalidades.

Está vocacionado à formação continuada dos professores de qualquer área do conhecimento que estejam no exercício da docência na Escola Básica, assim como para aqueles profissionais inseridos em outros espaços formais e não formais de ensino.

A jornada conta com a coordenação geral da professora Dra. Maria do Carmo Rebouças e do professor Dr. Richard Santos.

 

 

SERVIÇO

I Jornada do Novembro Negro - 18 a 23 de novembro de 2019

Local – UFSB e Parceiros

Inscrições – https://sig.ufsb.edu.br/eventos/public/home.xhtml

E-mail – nnegroufsb@gmail.com Mais informações em nossas redes sociais. Facebook e Instagram.

registrado em:
Fim do conteúdo da página