Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Experimento avaliou as condições ambientais e a incidência de problemas de pata em frangos de corte

Escrito por Heleno Rocha Nazário | Publicado: Segunda, 05 de Agosto de 2019, 14h35 | Última atualização em Quarta, 07 de Agosto de 2019, 15h27 | Acessos: 307

   A infraestrutura é um fator essencial em qualquer ramo produtivo. Uma pesquisa coordenada pelo professor Matheus Ramalho de Lima (UFSB) foi verificar um ponto específico da cadeia de aves de corte: a incidência de pododermatite (infecção nas patas) em dois tipos de galpões de criação de frangos localizados na região Extremo Sul da Bahia. Problemas de controle ambiental nesses espaços causam doenças nos animais, cujas carcaças são desclassificadas para a produção nos abatedouros, gerando perdas para o avicultor. Como a região está investindo na produção de frangos de corte, saber como reduzir os casos desse problema nas aves se revelou um objetivo para a equipe do professor Matheus, composta pelos alunos do Bacharelado Interdisciplinar em Ciências, Licenciatura em Ciências da Natureza e de Engenharia Agrícola e Ambiental da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), entre eles os bolsistas de iniciação científica Daniel Sales do Nascimento e Talía da Silva Ribeiro.

   O projeto de pesquisa Incidência de problemas de pata em frangos de corte foi apoiado pelo Programa de Iniciação à Pesquisa, Criação e Inovação (PIPCI) no período 2017-2018, gerido pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPPG/UFSB) e teve resultados apresentados em evento científico internacional em 2018. O professor Matheus relata mais detalhes da pesquisa, das técnicas usadas e as conclusões para o setor da avicultura regional. 


De que trata a pesquisa?

   O estudo parte de um projeto de iniciação científica que teve como título “Incidência de problemas de pata em frangos de corte”. O aluno Daniel Sales do Nascimento, aluno do BI Ciências do Campus Paulo Freire, hoje aluno do curso de Engenharia Agrícola e Ambiental da UFSB, trabalhou na vigência da bolsa de 2017 a 2018, sob a orientação do professor Matheus Ramalho de Lima.
   As avaliações foram feitas em galpões de produção de frangos de corte no extremo sul da Bahia. Dois tipos de galpões foram analisados, o tradicional e os com sistema de pressão negativa. O objetivo era verificar os efeitos desses galpões sobre a produção de frangos de corte na região.
   As aves precisam ter condições ótimas de locomoção para que possam acessar com facilidade os comedouros e bebedouros. Pelo nível intenso de produção e crescimento das aves, os problemas de pata podem esta associada à nutrição, ao peso corporal, saúde do lote, manejo, entre outros como alta densidade de alojamento e linhagens de crescimento rápido.
   Do ponto de vista nutricional, por exemplo, elevado teor de proteína das rações pode induzir problemas de pata, em virtude de alta excreção de nitrogênio que, associada à maior umidade da "cama de frango" (como se denomina a forração do piso do aviário), pode incrementar o teor de amônia no interior dos galpões, o que implicaria em queimadura dos coxins plantares das aves, tornando esse dado um fator indireto de avaliação. Outros efeitos associados podem ocorrer em consequência, seja com um maior custo com renovação do ar, maior incidência de condenação de carcaça, reduzido desempenho dos animais, impacto ambiental, entre outros. 

 

aferição de pododermatite
 Frangos com diferentes graus de pododermatite, da esquerda para a direita o 1, 2, e 3. A doença afeta o bem-estar animal e motiva condenação da carcaça no abatedouro, causando prejuízo
 financeiro ao avicultor (Acervo Daniel Sales do Nascimento)

 

Qual a contribuição dos resultados obtidos no plano de trabalho para o avanço do projeto?


   Os resultados mostraram que há elevada influência das condições ambientais sobre a produção de frangos de corte. Os dados obtidos mostram que a incidência de problemas de pata aumentam em incidência e em grau a medida que os frangos crescem. Contudo, em galpões com maior controle ambiental não se observa tal tendência, de modo a ter redução desses dados, ou seja, a incidência é menor e quando há, o grau de pododermatite é menor.
   A importância desses dados é que se valida que para a avicultura se necessita de investimentos em infraestrutura de controle ambiental, pois isso proporcionará melhores índices produtivos e a melhoria da condição de bem-estar das aves e, por consequência, maior retorno ao produtor. O estudo terá em sequência o desenvolvimento de sensores e sistemas de automação desses galpões, linha de estudo vinculada ao curso de Engenharia Agrícola e Ambiental.

 

Como foi feita a pesquisa?

   O estudo realizado envolveu o acompanhamento de dados ambientais dos galpões dos aviários (temperatura e umidade do ar, ventilação, umidade e temperatura da cama de frango e a entalpia, ou seja, a quantidade de energia liberada em forma de calor naquele espaço, o que se liga ao conforto térmico das aves), a temperatura corporal de aves entre os 3 e os 47 dias de idade e as ocorrências de pododermatite nas aves analisadas.

   O professor Matheus detalhou os procedimentos de pesquisa:

  •    O experimento foi realizado na região do extremo sul da Bahia entre os meses de fevereiro e junho de 2018. Os galpões avaliados tinham as mesmas dimensões, 15x150m, com orientação leste-oeste, piso de cimento e pé direito de 3m e com mesma densidade de alojamento: 15 aves/m².
  •    O galpão tradicional tinha 3 linhas de comedouros automáticos, e 4 linhas de bebedouros pendulares, que possuem abastecimento automático, mas limpeza manual. As paredes laterais eram abertas, com sistemas de controle de cortinas. A ventilação era feita por meio de ventiladores.
  •    O galpão com pressão negativa tinha comedouros (3 linhas) e bebedouros (4 linhas) automáticos, além de sistema de exaustão em uma das extremidades do galpão, garantindo fluxo contínuo de ar em 4,5 m/s, e com paredes laterais fechadas e sistema de aspersão de vapor de água.
  •    Foram coletados dados semanais de escore de pododermatite, temperatura corporal das aves, temperatura e umidade relativa do ar (em duas alturas 10cm e 180cm), temperatura, pH e umidade da cama de frango, bem como foi calculado a entalpia para avaliar índice de conforto térmico das aves. As aves foram avaliadas de 3 aos 47 dias de idade.
  •   O aviário foi dividido em três partes (fundo, centro e entrada), e em cada parte dessas foram feitas outras três subdivisões. Isso fez com que se tivesse dados de 9 setores dos galpões avaliados, com coleta de 3 aves/setor/coleta/galpão.
     

galpões pressão negativa 

Um dos galpões em pressão negativa avaliados na pesquisa, com destaque para os exaustores, bebedouros e comedouros e paredes laterais fechadas
para forçar o túnel de vento (Acervo Daniel Sales do Nascimento)

 galpões convencionais

Galpão tradicional, com destaque para os ventiladores, bebedouros, comedouros
e paredes laterais abertas (Acervo Daniel Sales do Nascimento)

 

  Para determinação do escore de pododermatite, cada ave capturada teve os coxins plantares fotografados por meio de câmera digital fotográfica semiprofissional Canon PowerShot SX160IS, 16 megapixels, zoom óptico de 16x com autofoco e estabilizador óptico de imagem. As imagens foram analisadas por duas pessoas e os dados avaliados segundo escores de lesões propostos por Hashimoto et al. (2011), que se baseiam na proporção de comprometimento existente na superfície plantar: 0 – sem lesão; 1 – lesão menor que 25%; 2 – lesão entre 25 e 50%; 3 – lesão em mais de 50%.

   Para aferição da temperatura corporal foi utilizado termômetro digital infravermelho com mira laser, resolução de 0,1 °C e faixa de medição de temperatura de -20 °C ~ 500 °C. Os dados de temperatura e umidade relativa do ar foram obtidos por meio de termo higrômetro digital da marca Supermedy com medição de temperatura entre -50°C a +70°C e umidade relativa de 10% a 99%, em duas alturas, 10 e 180cm, simulando altura das aves e do tratador, respectivamente.
   Para análise da cama, foram feitas coletas em um raio máximo de 1 metro de captura da ave analisada. A temperatura da cama foi obtida na superfície e em 3cm de profundidade por meio de termômetro infravermelho. Para a determinação da umidade e pH foram coletadas amostras de aproximadamente 40 gramas/setor/galpão, sendo o material armazenado e saco plástico de polietileno de 15 x 30 cm, armazenadas em geladeira analisadas no Laboratório Interdisciplinar II da Universidade Federal do Sul da Bahia do Campus Paulo Freire. Em triplicata, as amostras foram colocadas em estufa de secagem por 24h a 105°C, após isso foram pesadas para determinação peso seco e por meio de diferença obtido o teor de umidade. Essas amostras foram diluídas em água deionizada (proporção de 1:2,5 ml), agitadas durante 5 minutos por meio de agitador magnético, sucedendo de repouso por 1h seguido de análise de pH, conforme metodologia adaptada de Oliveira et al (2004) e Freitas et al (2011).
   

aferição temperatura cloacal

  Aferição da temperatura cloacal de aves  
de 3 dias de idade (acervo Daniel Sales do Nascimento)

 

Para medida da entalpia foi utilizada a equação proposta por Rodrigues et al. (2010) H=1,006×T+UR/PB×〖10〗^((7,5×T)/(237,3+T))×(71,28+0,052×T). Sendo: UR = umidade relativa do ar (%), T = temperatura de bulbo seco (°C) e PB = Pressão barométrica local (mmHg). A pressão barométrica foi determinada por meio da equação empírica na relação matemática mais aceita em função da altitude (A) do local em metros, P_atm=101,3×((288-0,0065×A)/288)^5,257, sendo obtido valor da pressão atmosférica em quilopascal (kPa) e convertida para milímetros de mercúrio (mmHg) sabendo-se que 1 kPa = 7,5006 mmHg.

   

Qual a importância da pesquisa?


   O extremo sul da Bahia vem elevando a sua produção de frangos de corte, por isso, cabe avaliar a incidência de problemas de pata e variáveis ambientais nos diferentes tipos de galpão, como forma de caracterizar e verificar influências desses fatores. Por conseguinte, poder indicar qual melhor sistema de produção para a região possibilitando melhores índices de eficiência, visto que tais problemas afetam as respostas fisiológicas das aves.
   Grandes investimentos têm sido feitos no mercado avícola nacional, o país tem elevado a exportação e o consumo de carne de frango, mas fatores como os apresentados podem gerar perdas econômicas, principalmente por desclassificações de carcaça no abatedouro. Um eficiente sistema de manejo e criação contribuem diretamente para controlar e reduzir o surgimento de patologias como a pododermatite, alcançando a máxima produtividade.

 

O que os resultados indicam/informam?


apresentação evento  Os dois tipos de galpão apresentaram variação na umidade relativa do ar ao longo da idade das aves, muito embora o galpão com pressão negativa se mostrou ser mais eficiente. O galpão tradicional mostrou picos elevados de umidade do ar na fase final, entre os dias 28 e 42 dias de idade dos frangos, fase com maior impacto sobre o desempenho das aves em condições não favoráveis. Em relação à qualidade da cama de frango, o pH e a umidade nas fases finais tiveram maiores teores no galpão tradicional.
   O galpão com pressão negativa mostrou uma variação não percebida estatisticamente, com valores na faixa verde na segunda semana, faixa laranja na terceira e quarta semana e faixa vermelha nas duas últimas semanas de criação, de modo que ambos galpões tiveram índices superiores aos considerados como zona de conforto térmico, conforme dados de entalpia do NUPEA (ESALQ – USP; 2018).
   As variáveis ambientais somadas com as características da cama de frango e densidade do aviário, culminam no potencial, seja positivo ou negativo, do surgimento de pododermatite e aumento do grau de lesão conforme idade dos frangos. Em resumo, o galpão com pressão negativa se mostra mais eficiente no controle das variáveis ambientais, pois apresenta tendência a reduzir os escores de pododermatite com o avanço da idade dos frangos. Para se ter uma ideia, os galpões tradicionais tiveram escore de 2 a 3 no final do lote, enquanto que o com pressão negativa apresentou escores de 0 a 1.

Daniel apresentou os resultados no evento PSA Latin American Scientific
Conference, em 2018 (Acervo Daniel Sales do Nascimento)

 

   Como forma de divulgar os resultados, a equipe submeteu trabalho no evento PSA Latin American Scientific Conference, promovido pela Poultry Science Association em Campinas - SP, de 6 a 8 de novembro de 2018. O material submetido teve como título An analysis of the effect of broiler age on the environmental condition in the poultry farms in the extreme south of Bahia, Brazil, tendo como primeiro autor o próprio aluno de iniciação cientifica além de outros membros da equipe também da graduação da UFSB, e após avaliação do comitê do evento, tivemos a alegria de sermos informados do aceite do material para apresentação oral e também da indicação do mesmo ao Student Award of Excellence Competition. Infelizmente, não fomos agraciados com o prêmio, mas o reconhecimento do trabalho e da equipe, sem dúvidas, já nos torna muito satisfeitos e certos de que estamos no caminho certo. 

 

 

Equipe responsável pela pesquisa:

Coordenação: Professor Dr. Matheus Ramalho de Lima - Coordenador da Engenharia Agrícola e Ambiental, lotado no Centro de Formação em Ciências Agroflorestais (CFCAf), Campus Jorge Amado (Docente do IHAC – Campus Paulo Freire à época do projeto)

Daniel Sales do Nascimento  - Bacharel em Ciências (IHAC – Campus Paulo Freire) e discente de Engenharia Agrícola e Ambiental no CFCAf – Campus Jorge Amado

Talia da Silva Ribeiro  - Licenciada em Ciências da Natureza (IHAC – Campus Paulo Freire) e discente de Engenharia Agrícola e Ambiental no CFCAf – Campus Jorge Amado

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página