Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

palestra "Vantagens para o Brasil liderar o mercado mundial de cacau agroflorestal"

  • Publicado: Sexta, 27 de Abril de 2018, 15h46
  • Última atualização em Quinta, 12 de Julho de 2018, 12h20
  • Acessos: 308
imagem sem descrição.

O Parque Científico e Tecnológico do Sul da Bahia tem o prazer de convidá-lo para a palestra (via videoconferência) "Vantagens para o Brasil liderar o mercado mundial de cacau agroflorestal", oferecida pela Palestrante Etelle Higonnet

Quando:

18 de julho de 2018, às 14hs

Onde:

Sala virtual do Centro de Formação em Ciências Agroflorestais – UFSB, CEPEC, Ceplac

Sala virtual do Centro de Inovação do Cacau

Sala virtual do Laboratório de Ecologia e Conservação da UESC

ou pelo link: https://zoom.us/j/680776256

 

Palestrante:

Etelle Higonnet

Biografia:

Etelle Higonnet é a Diretora Jurídica e de Campanha da organização ambientalista Mighty Earth, focalizada na eliminação do desmatamento nos trópicos com ênfase em cacau, soja, óleo de palma e borracha. Etelle trabalhou anteriormente para o Greenpeace como Diretora de Pesquisa do sudeste asiático, cuja pesquisa incluía energia, oceanos, lixo tóxico, agricultura e florestas. Etelle também tem experiência em direitos humanos, tendo trabalhado em zonas de conflito e guerra com Human Rights Watch (HRW) e a Anistia Internacional. Ela obteve o título de doutor em direito (“Juris Doctor”) pela Universidade de Yale nos Estados Unidos

Descrição da palestra:

A apresentação descreve a pesquisa da Mighty Earth sobre o desmatamento causado pelo cultivo de cacau na África Ocidental e no resto do mundo, e elabora sobre o que já foi alcançado e o que ainda é necessário para que a indústria do cacau faça uma transição para o Desmatamento Zero. Atualmente, 85% das empresas no mercado mundial de cacau apoiam o Desmatamento Zero na África Ocidental. Aproximadamente 65% das empresas neste mercado também apoiam a adoção do Desmatamento Zero mundialmente. Durante a apresentação, vamos discutir como cultivar – e rotular – o cacau brasileiro como um chocolate verdadeiramente ecológico, 100% agroflorestal e livre de desmatamento. O cacau cultivado no Brasil já está muito à frente do cacau da África Ocidental em dois aspectos importantes: (1) contribui menos ao desmatamento e (2) o sistema agroflorestal brasileiro é muito mais avançado no que diz respeito ao meio ambiente ao contrário da monocultura (“full sun”) típica na Costa do Marfim e Gana. O Brasil poderia se basear na atual liderança para assumir a posição inquestionável de líder no mercado mundial através de uma política de Desmatamente Zero para o cacau cultivado no Brasil; cacau verdadeiramente ecológico cultivado na sombra / cacau agroflorestal. Em resposta à pressão exercida pela Mighty Earth e nossos aliados, grandes empresas do setor, como a Hershey's e Godiva, já se comprometeram ao consumo de cacau crescido apenas em sistemas agroflorestais com Desmatamento Zero. Diante da necessidade emergente do setor de se tornar mais verde e combater escândalos relacionados a desmatamento, como a indústria brasileira de cacau poderia se posicionar como parte da solução?

Informação de fundo e pesquisa

- ‘Chocolate’s Dark Secret’ in West Africa http://www.mightyearth.org/wp-content/uploads/2017/09/chocolates_dark_secret_english_web.pdf;

- Satellite mapping on deforestation in Ghana and Ivory Coast: http://www.mightyearth.org/six-maps-explain-ivory-coast-cocoa-crisis/;

- The chocolate industry’s new Bonn COP23 promise: http://www.mightyearth.org/todays-big-chocolate-industry-announcement-means/;

- Chocolate ‘Kissed by Deforestation’ worldwide http://www.mightyearth.org/tu-cacao-besado-por-la-deforestacion/

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página