Portal do Governo Brasileiro
Bacharelados Interdisciplinares

Definição

Além de possibilitar ao estudante a aquisição de competências e habilidades para uma posterior formação profissional (2o Ciclo) ou ingresso em curso de pós-graduação (3o Ciclo), os BI são cursos de graduação plenos que têm por objetivo oferecer formação humanística, científica e artística de modo interdisciplinar, promovendo a autonomia para a aprendizagem interprofissional e uma inserção mais abrangente e multidimensional no mundo do trabalho.

A proposta pedagógica dos BI baseia-se em três eixos estruturantes do processo de ensino-aprendizagem: mobilização para o conhecimento mediante Compromisso de Aprendizagem Significativa (aprender a aprender); cooperação intersubjetiva (aprender junto/com), participando de um Sistema Integrado de Aprendizagem Compartilhada; e construção do processo de aprendizagem com base na prática, orientado a partir de problemas concretos.

Nesta etapa da Formação, o estudante tem a possibilidade de: 1) ingressar em uma Área de Concentração (AC), percurso dos que pretendem tomar o BI como requisito para formação profissional no segundo ciclo; ou 2) de permanecer na Grande Área, que assegura formação interdisciplinar no campo escolhido (Artes, Ciências, Humanidades ou Saúde). À exceção do BI em Artes, os demais cursos oferecem a opção de duas ou mais Áreas de Concentração.

Bacharelado Interdisciplinar em Artes

O BI em Artes é um curso de graduação pleno cujo objetivo é oferecer formação geral no campo das Artes, de modo interdisciplinar, interprofissional e intercultural, tomando este campo como solo para a construção de uma cultura humanística, artística e científica ampla, contemporânea, sensível, atenta às práticas comunitárias, sócio e ambientalmente responsável.

O/A egresso/a de um curso de Bacharelado Interdisciplinar (BI) da UFSB deverá integrar competências para uma prática interdisciplinar, interepistêmica e intercultural em Artes. Promoverá, de forma consciente, sensível, ética e qualificada, os saberes e práticas das comunidades com as quais convive. Será capaz de reconhecer a complexidade social e artística da sua região e atuar em prol da transformação da realidade, como artista, como agente cultural, como educador em sentido amplo. Busca-se formar um artista-cidadão crítico, com autonomia, autor e pesquisador de sua própria prática, que reconhece a si mesmo como sujeito em processo de formação permanente. O BI em Artes da UFSB abre a possibilidade de: (1) sair diretamente para o mundo do trabalho, como artista; (2) atuar como gestor de políticas de educação e cultura; (3) poderá optar seguir para o 2º ciclo (formação profissional específica); (4) submeter-se a seleção para o 3º ciclo (pós-graduação); (4) complementar estudos para diplomar-se em uma das Licenciaturas Interdisciplinares (LI).

O egresso do Bacharelado Interdisciplinar em Artes será capaz de aprender continuamente, analisar criticamente a arte como um conhecimento humano articulado no âmbito sensível-cognitivo, por meio do qual elaboramos experiências, significados, sensibilidades e concepções sobre o mundo. Ao compreender e aplicar, durante a formação universitária, a ação estética como dispositivo intensificador da experiência sensível, em atuações socialmente contextualizadas e respeitando a diversidade de expressões culturais, o egresso terá uma prática social mais rica e efetiva, compreendendo alcances e impactos do conhecimento artístico e suas tecnologias na comunidade. Sua ampla abertura às práticas não hegemônicas das artes lhe permitirá uma relação estendida com as possibilidades de realização estética contemporânea.

Ao não tomar as Artes ao interior dos domínios traçados por tradições hegemônicas, a UFSB coloca- se na contramão de movimentos que preconizam ensino especializado e isolado em escolas de Dança, Música, Teatro e Artes Plásticas. Também a Literatura, por meio do conceito de Artes Verbais, retorna ao Campo das Artes pois é, para nós, um dos pilares das práticas artísticas em tradições de matrizes ameríndias, africanas e indo-europeias.

Ao se buscar tratar as Artes como um campo contínuo de saberes e práticas, optou-se por deixar ao estudante, sob supervisão, a escolha livre do seu percurso e, portanto, o BI em Artes não oferecerá a opção de Áreas de Concentração a priori. Acredita-se que, desta maneira, a formação interdisciplinar e intercultural em Artes poderá alcançar de modo mais potente e decisivo seu papel na construção da cidadania e na emancipação dos sujeitos.

Entretanto, caso deseje, o graduando poderá postular, no final do BI, uma área de concentração singularizada, configurando uma etapa de “destinação individual”. Se o conjunto de CCs cursados mostrar-se coerente, vale dizer, demonstrar lógica interna, configurando um campo específico de saberes ou de práticas, e se o Colegiado considerar apropriado, poderá ser validada uma Área de Concentração singular, a ser apensada ao grau acadêmico de Bacharel em Artes.

 

Quanto à gestão acadêmica do BI em Artes, em caso de alguma dúvida ou queixa, os estudantes devem acionar seu Colegiado de Curso, órgão que tem por finalidade planejar, coordenar e supervisionar as atividades de ensino-aprendizagem de acordo com o Projeto Pedagógico do Curso (PPC), e que, no IHAC/CJA, é coordenado pelos professores Martin Domecq (martindomecq@gmail.com) e Fábio Nieto. (fabionieto@gmail.com)

Acesso ao PPC do BI em Artes:

https://drive.google.com/file/d/0B8T2RgiROYT_UHF4NlpmejE2cVU/view?usp=sharing

Bacharelado Interdisciplinar em Ciências

O profissional formado no BI-Ciências deve estar apto a aprender continuamente, analisar criticamente e compreender limites e impactos do conhecimento científico e suas tecnologias no campo das ciências, hábil tecnicamente, sem prescindir dos requisitos humanísticos, éticos e solidários para o trabalho e a vida em sociedade.

Ao compreender e aplicar, durante a formação universitária, conhecimentos sobre questões socioculturais em interação com o campo das ciências, em perspectiva interdisciplinar, o estudante adquire uma prática social mais rica e efetiva, capaz de promover mudanças sustentáveis nas condições de vida da comunidade.

O BI-Ciências considera as seguintes Macrocompetências como prioritárias à formação interdisciplinar:

  1. compreender /conhecer a complexidade da realidade;
  2. apreender capacidade de abstração, interpretação, análise, síntese, investigação e criação, combinando distintos campos do conhecimento, em particular das Ciências e das Tecnologias;
  3. atuar em prol da transformação da realidade por meio de práticas interdisciplinares em equipe interprofissional;
  4. agir com autonomia e auto-organização, comprometendo-se com a educação permanente;
  5. desenvolver proficiência em língua portuguesa e em línguas estrangeiras e demonstrar capacidade de comunicação, escuta ativa e empatia;
  6. empregar com eficiência recursos tecnológicos de informação e conectividade em processos de ensino-aprendizagem e práticas profissionais de seu campo de atuação;
  7. conduzir-se de acordo com preceitos éticos e deontológicos.

O egresso do curso terá duas alternativas de titulação em seu diploma:

  1. Se optar pela permanência na Grande Área de Ciências, receberá o título de Bacharel em Ciências.
  2. Se optar por uma das Áreas de Concentração, receberá o título de Bacharel em Ciências com menção na Área de Concentração cuja definição será baseada no grupo de CCs básicos ou propedêuticos para carreiras profissionais ou acadêmicas específicas escolhidas pelo estudante. Exemplo: Área de Concentração em Estudos Ambientais.

Os egressos do Bacharelado Interdisciplinar em Ciências estarão aptos, no âmbito profissional, a desempenhar funções onde se requer uma formação superior generalista, principalmente aquelas que requerem conhecimento em Ciências. Considerando o perfil pretendido e de acordo com as competências e habilidades a serem desenvolvidas, o egresso poderá atuar especificamente nas seguintes áreas:

  1. a) cargos variados vinculados a concursos públicos que exijam nível superior;
  2. b) instituições de Desenvolvimento de Políticas e Programas de Ciência e Tecnologia;
  3. c) instituições industriais, comerciais e financeiras:
  4. d) instituições de pesquisa e apoio em Ciências e Tecnologia;
  5. e) desenvolvimento do empreendedorismo, com inovações científicas, tecnológicas em diferentes setores do comércio;
  6. f) organizações do terceiro setor (cargos intermediários de gestão, notadamente em pesquisa e desenvolvimento tecnológico);
  7. g) atividades de pesquisa em Ciência e Tecnologia, inclusive por meio de estudos em nível de pós-graduação stricto sensu e/ou lato sensu;
  8. h) curso de pós-graduação stricto sensu na área correlata da formação superior concluída, podendo ser na UFSB ou outras instituições;
  9. i) ingresso em cursos de 2º ciclo da própria UFSB, correlacionados a grande área.

Quanto à gestão acadêmica do BI em Ciências, em caso de alguma dúvida ou queixa, os estudantes devem acionar seu Colegiado de Curso, órgão que tem por finalidade planejar, coordenar e supervisionar as atividades de ensino-aprendizagem de acordo com o Projeto Pedagógico do Curso (PPC), e que, no IHAC/CJA, é coordenado pelos professores Carlos Eduardo (CEPEREIRA.UFAM@gmail.com) e Frederico Monteiro Neves (fmonteironeves@yahoo.com.br).

Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades

O Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades caracteriza-se por uma orientação interdisciplinar, autônoma e crítica. Esse profissional está habilitado para exercer funções na administração pública e privada e em organizações que tenham como tarefa coordenar esforços para a consecução de metas econômicas, políticas ou sociais. Sua formação permite que atue em ambientes corporativos, estando particularmente capacitado para o exercício do trabalho em equipes e redes.

As características específicas de sua formação generalista permitem ao Bacharel em Humanidades ter expectativa de bom desempenho em provas seletivas para o exercício de funções públicas nas carreiras dos diferentes poderes que constituem o Estado. Ao compreender e aplicar conhecimentos sobre as questões socioculturais, o Bacharel em Humanidades terá uma prática social mais rica e efetiva, enxergando a comunidade como detentora de conhecimentos importantes para viabilizar mudanças sustentáveis em suas condições de vida.

O Bacharel em Humanidades deverá ainda ser capaz de:

  1. a) realizar análises, estudos e pesquisas críticos e reflexivos no âmbito profissional das áreas das Humanidades, em diálogo interdisciplinar com outros campos de conhecimento;
  2. b) articular qualidade acadêmica e compromisso com a cidadania no âmbito da pesquisa e da atividade laboral;
  3. c) respeitar e promover a diversidade cultural, reconhecendo a necessidade do diálogo permanente com os saberes e as práticas populares.
  4. d) utilizar as tecnologias de informação e comunicação, participando criticamente da renovação cultural baseada na riqueza informacional de que dispõem as sociedades contemporâneas;
  5. e) aprender continuamente, analisar criticamente e compreender limites e impactos do conhecimento científico e suas tecnologias.
  6. f) compreender os fundamentos teóricos e metodológicos das áreas das Humanidades;
  7. g) identificar e interrogar de forma crítica e propositiva as principais questões, dilemas e impasses da contemporaneidade, nos âmbitos social, cultural e subjetivo;
  8. h) exercitar nos diversos espaços de sociabilidade e produção material e intelectual, a pesquisa e análise interdisciplinar dos complexos fenômenos humanos e suas implicações em ambientes micro e macrossociais.

A Etapa da Formação Específica oferece duas opções ao estudante: a) ingresso em uma Área de Concentração (AC); b) permanência na Grande Área, que assegura formação interdisciplinar no campo das Humanidades.

1.3.1 – Grande Área das Humanidades

A Formação na Grande Área (GA) é a modalidade de formação mais abrangente e que permite maior autonomia do estudante, pois não procura direciona-lo para uma determinada temática ou profissionalização em curso de segundo ciclo.

Além dos CCs cursados na Formação Geral e no Bloco Temático Teórico-Metodológico (Metodologias em Humanidades; Interdisciplinaridade: teorias e práticas; Formação e consolidação das Humanidades), exige-se o cumprimento de 1200 horas (80 créditos) em CCs Optativos, de Livre Escolha ou Atividades Complementares. Destes, pelo menos 720 horas (48 créditos) devem ser cumpridas em CCs Optativos da Grande Área do BI-Humanidades.

Para completar a Formação Específica na Grande Área, o estudante ainda deve cumprir 300 horas (20 créditos) em CCs de Livre Escolha, ou seja, CCs oferecidos por qualquer curso da UFSB ou por outras instituições, mediante convênios e mobilidade acadêmica), bem como os CCs Optativos da Grande Área. Finalmente, todo estudante deve cumprir uma carga horária de 120 horas (8 créditos) de Atividades Complementares.

 

1.3.2 – Áreas de Concentração

Para facilitar a preparação dos que pretendem tomar o BI-Humanidades como requisito para formação profissional no segundo ciclo, adota-se o conceito de Área de Concentração (AC), definida como um conjunto de estudos teóricos e aplicados que tenham coerência interna e estejam a serviço da construção de certa trajetória acadêmica e/ou profissional.

Assim como na Grande Área, o estudante da Área de Concentração deve cursar a Formação Geral e o Bloco Temático Teórico-Metodológico. No entanto, 360 horas (24 créditos) da Formação Específica devem ser cursadas com os CCs de Área de Concentração própria e outras 300 horas (20 créditos) em CCs de Livre Escolha. Finalmente, 120 horas (8 créditos) devem ser cumpridos em Atividades Complementares.

As Áreas de Concentração disponibilizadas inicialmente pelo BI-Humanidades são três:

  1. Gestão do Patrimônio Cultural (GPC): Essa modalidade de formação orienta o estudante para o curso de segundo ciclo em Antropologia;
  2. Culturas, Poderes e Sociedades (CPS): Essa modalidade de formação orienta o estudante para cursos de terceiro ciclo em Ciências Sociais;
  3. Estado, Sociedade e Participação Cidadã (ESPC): Essa modalidade de formação orienta o estudante para cursos de segundo ciclo em Ciências Sociais Aplicadas, como por exemplo Direito, Economia e Administração.

Quanto à gestão acadêmica do BI em Humanidades, em caso de alguma dúvida ou queixa, os estudantes devem acionar seu Colegiado de Curso, órgão que tem por finalidade planejar, coordenar e supervisionar as atividades de ensino-aprendizagem de acordo com o Projeto Pedagógico do Curso (PPC), e que, no IHAC/CJA, é coordenado pelos professores Márcio Carvalho (carvalhomav@gmail.com) e Guilherme Foscolo (gfoscolo@gmail.com).

 

Bacharelado Interdisciplinar em Saúde

O Bacharelado Interdisciplinar em Saúde é um curso de graduação de 2.730 horas cujo objetivo é oferecer formação geral humanística, científica e artística no campo da saúde, de modo interdisciplinar, promovendo o desenvolvimento de competências e habilidades que conferem autonomia para a aprendizagem interprofissional e uma inserção mais abrangente no mundo do trabalho.

Também tem como objetivo possibilitar ao estudante a aquisição de competências e habilidades gerais e específicas para o aprendizado de fundamentos conceituais e metodológicos para uma posterior formação profissional e/ou ingresso em curso de pós-graduação.

O profissional formado no BI-Saúde deve estar apto a aprender continuamente, analisar criticamente e compreender limites e impactos do conhecimento científico e suas tecnologias no campo da saúde, hábil tecnicamente, sem prescindir dos requisitos humanísticos, éticos e solidários para o trabalho e a vida em sociedade.

Ao compreender e aplicar, durante a formação universitária, conhecimentos sobre questões socioculturais em interação com o campo da saúde, em perspectiva interdisciplinar, o estudante adquire uma prática social mais rica e efetiva, capaz de promover mudanças sustentáveis nas condições de vida da comunidade.

Considera-se as seguintes competências prioritárias à formação:

  1. Compreender/conhecer a complexidade da realidade;
  2. Compreender/conhecer as bases bioecológicas e socioculturais dos processos vitais normais e patológicos (saúde-enfermidade-cuidado);
  3. Atuar em prol da transformação da realidade por meio de práticas interdisciplinares em equipe interprofissional;
  4. Agir com autonomia e auto-organização, comprometendo-se com a educação permanente;
  5. Desenvolver proficiência em língua portuguesa e em línguas estrangeiras e demonstrar capacidade de comunicação, escuta ativa e empatia;
  6. Empregar com eficiência recursos tecnológicos de informação e conectividade em processos de ensino-aprendizagem e práticas de seu campo de atuação;
  7. Compreender a Linguagem Matemática e o Raciocínio Computacional e aplicá-los à simulação e análise da realidade;
  8. Conduzir-se de acordo com preceitos éticos e deontológicos.

A proposta pedagógica dos BI baseia-se em três eixos estruturantes: mobilização para o conhecimento mediante Compromisso de Aprendizagem Significativa; cooperação intersubjetiva, participando de um Sistema Integrado de Aprendizagem Compartilhada; e construção com base na prática, por meio da Aprendizagem Orientada por Problemas Concretos. No caso do BI-Saúde, assume-se um quarto eixo orientador: Educação baseada na comunidade e orientada pela Atenção Primária à Saúde (APS).

Da Formação Geral, que totalizou 930 horas, três CCs são optativos para a FG mas obrigatórios para o BI-Saúde (Grande Área e todas as AC), somando 180h ou 12 créditos, e precisarão ser cursados pelos estudantes da ABI: 1) Campo da Saúde: Saberes e Práticas (60h); Oficina de Textos Acadêmicos e Técnicos em Saúde (60h); e Perspectivas Matemáticas e Computacionais em Saúde (60h).

Entretanto, os CCs relacionados ao eixo de Formação Específica terão, de fato, lugar nos segundo e terceiro anos do BI. Nessa Etapa, o estudante tem duas opções: a) ingresso em uma Área de Concentração (AC); b) permanência na Grande Área, que assegura formação interdisciplinar no campo da Saúde. Esta etapa conta com carga horária total mínima de 1.800 horas ou 120 créditos.

1.4.1 – Grande Área da Saúde

Visando garantir uma visão ampla dentro da Grande Área de Saúde, todo estudante do BI em Saúde, independente se ingressante em uma Área de Concentração (AC) ou na Grande Área, deverá cursar o Núcleo Comum da Formação Específica em Saúde (NCFE), que totaliza 870 horas, sendo 570 horas de CCs teóricos e 300 horas de atividade prática.

Esse NCFE é composto por:

  1. Oito CCs teóricos que objetivam desenvolver a compreensão da complexidade da realidade e das bases bioecológicas e socioculturais dos processos vitais normais e patológicos de saúde-enfermidade-cuidado:
    • Seis (6) CCs Obrigatórios: Epidemiologia e Análise da Situação de Saúde (60h); Introdução à Pesquisa em Saúde (30h); Oficinas de Cuidados em Saúde Baseados em Evidências (30h); Sustentabilidade, Saúde e Qualidade de Vida (60h); Políticas e Serviços de Saúde no Brasil (60h); Bases Bioecológicas da Saúde (30h); e
    • Dois (2) CCs de Escolha Restrita: Racionalidades Médicas e Sistemas Terapêuticos (60h) ou Culturas, Saberes Tradicionais e Práticas de Saúde (60h); Subjetividade, Cuidado e Saúde (60h) ou Relação Sujeito-Profissional de Saúde (60h).
  2. Dois (2) CCs Oficina de Textos em Língua Inglesa (60h cada) e dois CCs de Textos Acadêmicos e Técnicos em Saúde (30h cada), capacitando o estudante para a comunicação técnica e científica;
  3. Cinco (5) CCs de Práticas Integradas em Saúde (60h cada), que serão oferecidas de forma transversal, do quinto ao nono quadrimestres de formação, a serem realizados em comunidade e no Sistema Único de Saúde, organizando-se de forma articulada com os demais CCs.

O CC Práticas Integradas em Saúde: Análise de Situação e Territorialização marca o ingresso do estudante nas Equipes de Aprendizagem Ativa (EAA) no 5o quadrimestre-letivo, iniciando o processo de conhecer e analisar a complexidade da realidade local por meio da coleta e análise de informações acerca da saúde da comunidade e nos serviços de saúde.

Se permanecer na Grande Área, o estudante deverá cumprir, ainda, 630 horas em CCs Optativos do BI em Saúde, enquanto outras 300 horas serão destinadas a CCs Livres (oferecidos por qualquer curso da UFSB ou por outras instituições, mediante convênios e mobilidade acadêmica), podendo, ainda, aproveitar 180 horas como Atividades Complementares.

1.4.2 – Áreas de Concentração

Para facilitar a preparação dos que pretendem tomar o BI em Saúde como requisito para formação profissional no segundo ciclo, o PPC detalha, inicialmente, duas Áreas de Concentração (AC): 1) Estudos em Saúde-Enfermidade-Cuidado (ESEC); e 2) Estudos em Saúde Coletiva (ESC).

A primeira AC é preferencial para progressão aos cursos de Enfermagem e Medicina; a segunda, ao curso de Saúde Coletiva. Outras ACs poderão ser oportunamente agregadas à oferta do BI-Saúde, a depender de novas propostas e/ou composição de ofertas curriculares combinando elementos de ACs e cursos de formação profissional.

A escolha de uma AC pode acontecer no início da etapa equivalente ao Módulo de Formação Específica do Bacharelado Interdisciplinar (quarto quadrimestre); ou a posteriori, proposta pelo estudante, validada pelo orientador e aprovada pelo Colegiado de Curso.

Os CCs Optativos estão organizados em Unidades Curriculares (UC) do tipo Blocos Temáticos, que devem servir de base à construção de diferentes trajetórias acadêmicas. Essas UC, não por acaso, organizam os principais conhecimentos e competências interprofissionais da saúde a serem desenvolvidas pelo estudante, a depender do percurso a ser construído. Combinadas de diferentes maneiras e ênfases, corresponderão a diferentes Áreas de Concentração (AC).

Por fim, quanto à gestão acadêmica do BI em Saúde, em caso de alguma dúvida ou queixa, os estudantes devem acionar seu Colegiado de Curso, órgão que tem por finalidade planejar, coordenar e supervisionar as atividades de ensino-aprendizagem de acordo com o Projeto Pedagógico do Curso (PPC), e que, no IHAC/CJA, é coordenado pelas professoras Gabriela Andrade (gabriela.silva.ufsb@gmail.com) e Ita de Oliveira (itabio@hotmail.com).


UFSB Copyright 2015. UFSB - Universidade Federal do Sul da Bahia - Todos os direitos reservados. Google+