FOTO NOVA

Novo aplicativo de smartphone busca o uso mais sustentável de caranguejos do manguezal

27 de novembro de 2017   //   Por:   //   Notícia

No dia 16 de novembro de 2017, extrativistas da RESEX do Cassurubá, comerciantes de pescado, moradores de Caravelas, gestores e pesquisadores se reuniram na base do CEPENE/ICMBio em Caravelas para o lançamento do aplicativo para smartphone Remar_Cidadão, da Rede de Monitoramento de Andadas Reprodutivas de Caranguejos – REMAR. Este aplicativo de “Ciência-Cidadã” permite que qualquer pessoa registre facilmente ocorrências de andadas reprodutivas de caranguejo-uçá e de guaiamum, em qualquer ponto do litoral brasileiro, e tem o apoio do
ICMBio.

Cardisoma guanhumi

Cardisoma guanhumi. Fotografia: Karen Diele

A REMAR, coordenada pela Dra. Karen Diele, da Edinburgh Napier University e St Abbs Marine Station, Grã Bretanha, e pelo Dr. Anders Schmidt, da Universidade Federal do Sul da Bahia, com colaboradores de outros universidades (UEAP, UFPA, UEPB, UFS, UFSB, UFES, UFPR e UFSC) e do próprio ICMBio (RESEXMAR Soure), já atua em nove locais do Brasil, principalmente nas Unidades de Conservação. Agora, com o auxílio do Remar_Cidadão, co-desenvolvido com estudantes de informática da Edinburgh Napier University, a REMAR poderá contar com a colaboração de coletores de caranguejo, comerciantes, gestores de unidades de conservação, fiscais e cidadãos em geral.

Esta “força-tarefa” para compreender completamente as andadas de caranguejos tem uma motivação especial.  Durante as andadas, milhares de caranguejos de manguezal saem em massa de suas tocas para procurar companheiros para acasalamento. Justamente neste período reprodutivo, essencial para a perpetuação das espécies, os caranguejos ficam mais vulneráveis e podem ser facilmente capturados por qualquer pessoa, mesmo não profissionais.

As andadas parecem ser controladas pela lua, porém esta sincronia ainda não é completamente compreendida. Tipicamente, os caranguejos procuram companheiros em torno da lua nova e da lua cheia, porém, em certos anos as andadas ocorrem somente em torno da lua cheia, em outros ocorrem apenas em torno da lua nova e, mais raramente, existem anos em que as andadas ocorrem em torno destas duas fases da lua. Por precaução, a captura de caranguejos é proibida em torno da lua cheia e da lua nova. No entanto, quando os defesos ocorrem em períodos em que não há caranguejos andando, coletores são injustamente impedidos de trabalhar e entram em conflito com os gestores que, por sua vez, também acabam desperdiçando recursos públicos com fiscalizações desnecessárias.

Para solucionar este problema, é preciso entender as ligações entre o comportamento reprodutivo dos caranguejos e diferentes ciclos geofísicos para poder prever exatamente quando as andadas ocorrem ao longo dos 7500 km de litoral do Brasil. Os pesquisadores da REMAR estão conseguindo muitos avanços valendo-se do até então pouco estudado “Ciclo de Desigualdade de Marés de Sizíga”.

Ucides cordatus

Ucides cordatus. Fotografia: Karen Diele

A REMAR vem experimentando com sucesso o fornecimento de previsões de andadas de caranguejo-uçá para os gestores da RESEX do Cassurubá, Caravelas, BA, onde as pesquisas com andadas começaram em 2006 com apoio do CEPENE/ICMBio. Espera-se em breve fornecer para o ICMBio e IBAMA previsões confiáveis para todo o Brasil para orientar os períodos de suspensão de captura de caranguejo-uçá. Quanto ao guaiamum, a REMAR ainda precisa avançar mais nos estudos das andadas e, para isso, o aplicativo REMAR_Cidadão será uma peça chave.

O REMAR_Cidadão é um aplicativo Android e pode ser baixado gratuitamente no Google Play Store (“REMAR Cidadão” ou “REMAR”). Dentro do aplicativo o usuário poderá optar pelo REMAR Básico, o mais simples de usar, e o REMAR Avançado, que permite fornecer informações mais detalhadas. As informações são enviadas diretamente para um banco de dados da REMAR para serem analisadas e serão disponibilizadas para os participantes através de um website ainda em construção.

José Bernardo Gomes de Jesus, morador local e colaborador da RESEX do Cassurubá, afirmou: “O aplicativo é de fácil utilização, mesmo o avançado, e se cada extrativista com celular avisar os outros e passar as informações daqueles que não têm celular, em breve todos estarão envolvidos nesta pesquisa muito importante para nós mesmos”.

Esta união de esforços mediada pelo avanço tecnológico de um aplicativo inovador para smartphone estará, em última análise, contribuindo para a perpetuação da cultura milenar de coleta de caranguejos e para a melhora da qualidade de vida das populações tradicionais envolvidas.

Contato Coordenação REMAR: Anders Schmidt  anders@ufsb.edu.br   e Karen Diele K.Diele@napier.ac.uk

 

  • Texto fornecido por Anders Schmidt