195A3802

I Semana Acadêmica da Engenharia da Sustentabilidade apresentou detalhes do curso

13 de outubro de 2017   //   Por:   //   CFTCI, Notícia

Um dos cursos de segundo ciclo a serem oferecidos pela UFSB, a Engenharia da Sustentabilidade teve a sua primeira semana acadêmica iniciada na terça-feira (10), no Auditório do Campus Jorge Amado. O evento contou uma agenda com apresentação de trabalhos na quarta-feira e uma atividade facultativa marcada para o feriado da quinta-feira. A meta era apresentar aos estudantes os detalhes do curso oferecido pelo Centro de Formação em Tecnociências e Inovação (CFTCI) e os conceitos envolvidos na proposta pedagógica, o campo de atuação e as perspectivas para esse tipo de profissional.

O coordenador do curso de Engenharia da Sustentabilidade, professor Marcelo Soares Teles Santos, abriu o evento com uma palestra abrangente sobre a estrutura do curso, a regulamentação, o cenário de trabalho e a estratégia de formação profissional. De acordo com a apresentação, um conceito básico é o multiprofissionalismo, que significa a capacitação em diferentes áreas. Assim, os dois primeiros anos desse curso consistem na formação em Engenharia da Sustentabilidade, e o ano seguinte pode ser dedicado a uma das opções de formação sequencial: Engenharia Urbana (a primeira a ser implantada), Engenharia Cartográfica e de Agrimensura, Engenharia Sanitária e Engenharia de Logística em Transportes. Essa proposta visa atender a recomendações para o ensino das Engenharias no Brasil, com base em estudos realizados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e do Ministério da Educação, dentre outros documentos.

A demanda para engenheiros com um perfil interdisciplinar e com boa capacidade de comunicação, trabalho em equipe, liderança e empreendedorismo é alta, explicou o professor Marcelo. A ênfase do curso no tema da sustentabilidade foi apresentada como um diferencial que os egressos mostrarão no mercado de trabalho. Por isso, o curso estará bem direcionado para as tendências sustentáveis nos aspectos ambientais, sociais e econômicos, uma vez que empresas e o poder público buscam obter e oferecer processos e produtos que tragam retorno nas finanças, na imagem institucional, nas suas interações com pessoas e organizações e no cuidado com o ambiente.