IMG_20170901_102808

UFSB definiu piso de 75% das vagas para cotas no ingresso em cursos de 2º ciclo

1 de setembro de 2017   //   Por:   //   Notícia

 

A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) aprovou resolução que definiu a reserva de vagas para cotistas nas ofertas para os cursos de segundo ciclo (cursos de graduação profissionalizantes). A decisão ocorreu na reunião do Conselho Superior Universitário nesta sexta-feira (01/09). Com isso, para os cursos de 2º ciclo, o número de vagas destinadas às modalidades de políticas afirmativas (previstas na Lei Federal nº 12.711/2012) deve equivaler a, no mínimo, 75% do total de vagas ofertadas.

Após uma discussão intensa, a proposta do piso de 75% de vagas para as modalidades de cotas (previstas na Lei Federal 12.711/2012) foi aprovada por 15 votos a favor e 3 abstenções. A relatoria da pauta coube ao decano do IHAC do Campus Sosígenes Costa (Porto Seguro), professor Marcos Bernardes.

Assim, após a conclusão dos cursos de primeiro ciclo (acessíveis via Sisu e seleções via Rede Anísio Teixeira de Colégios Universitários), haverá processo seletivo interno, dentre os egressos do 1º ciclo, para entrada nos cursos profissionalizantes (segundo ciclo). Esses processos seletivos internos terão de reservar ao menos 75% do total da oferta de vagas para as modalidades de cotas previstas em lei, com as demais vagas ofertadas para ampla concorrência.

A vice-reitora da UFSB, professora Joana Angélica Guimarães, destacou dois aspectos dessa decisão. O primeiro é que a definição atende a dados verificáveis, como a composição étnico-racial e socioeconômica das regiões Sul e Extremo Sul da Bahia, reforçando os compromissos que a instituição assumiu de promover o desenvolvimento regional e de trazer as pessoas em condições mais vulneráveis para dentro do ambiente acadêmico. Segundo ela, o piso de 75% para cotas também se aproxima da composição do público ingressante, considerando que cerca de 78% dos estudantes de Ensino Médio da região provêm de escolas públicas. 

Mas, mais importante que isso, afirmou Joana, é que o processo que levou a essa decisão também fomentou o debate sobre o papel das políticas afirmativas dentro da UFSB, um trabalho bastante necessário. “Apenas estar na universidade não melhora a visão de mundo de alguém”, sintetizou a vice-reitora. 

Na mesma reunião, outros temas foram apreciados, com a aprovação da resolução que institui a Comissão de Políticas de Sustentabilidade da UFSB e do Regimento do Conselho Estratégico Social. A regulamentação da Estrutura de Gestão Acadêmica teve sua votação adiada para a próxima sessão do Consuni.