SBB

Herbário da UFSB tem registro aceito na Rede Brasileira de Herbários da Sociedade Botânica do Brasil

21 de agosto de 2017   //   Por:   //   Sem categoria

No dia 15 de agosto, o Herbário Prof. Geraldo C.P. Pinto (sigla GCPP), ligado ao Jardim Botânico FLORAS da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), teve o seu registro aceito na Rede Brasileira de Herbários da Sociedade Botânica do Brasil (SBB). Esse registro representa o reconhecimento do nome do herbário no índice de herbários brasileiros e o primeiro passo para o registro internacional no Index Herbariorum.

Parte da equipe do Herbário GCPP e vista parcial mostrando o espaço da coleção. Da esquerda para a direita: profa. Cristiana Costa, estudantes Tainá Antunes, Agatha Pinto e Vinícius Santos. Foto: Jorge Costa

Um Herbário é uma coleção biológica de partes de plantas secas, cientificamente catalogadas e que serve ao estudo da biodiversidade de plantas e fungos. O nome do Herbário da UFSB é uma homenagem ao professor Geraldo Carlos Pereira Pinto, que muito contribuiu para o conhecimento da Flora da Bahia e do Brasil, mas, principalmente, para o conhecimento da fitotecnia de importantes culturas como a do Cacau e do Dendê.

Prof. Jorge Costa, apresentando as atividades do Herbário GCPP aos estudantes do Ensino Médio do Colégio Ricaldi durante a semana de Meio Ambiente da UFSB. Foto: Cris Costa

No momento, o Herbário GCPP possui um acervo de 1.715 exemplares já catalogados da flora da Mata Atlântica, sendo grande parte do acervo oriundo de doação da Reserva Particular do Patrimônio Nacional (RPPN) da Estação Veracel, juntamente com armários de aço próprios para coleções de herbários. A doação aconteceu em maio deste ano devido, especialmente, ao trabalho da Dra. Virgínia Lode, e esse ato tem contribuído desde então para o aumento do conhecimento sobre as espécies da Mata Atlântica do Extremo Sul da Bahia, na formação de estudantes dos cursos de Graduação da UFSB e no despertar da curiosidade de estudantes do Ensino Básico.

O espaço do Herbário GCPP ainda é pequeno e improvisado diante do momento de implantação no qual a UFSB se encontra. Além disso, seu acervo ainda está em fase de informatização e muitas amostras já coletadas ainda estão aguardando para serem catalogadas, montadas e incorporadas, processo que requer pessoal voluntário treinado para a curadoria de coleções. Se você tiver interesse em colaborar com o GCCP, entre em contato com a coordenação através do e-mail herbarioprofgeraldo@gmail.com. Nesse endereço eletrônico, você também pode agendar visitas para realizar pesquisas ou mesmo para conhecer o nosso herbário.

 

Quem foi Geraldo Carlos

Geraldo Carlos Pereira Pinto (1919-2009) foi um Agrônomo natural de Salvador-BA. Graduado em 1940 pela Escola Agrícola da Bahia, foi professor Titular da Universidade Federal da Bahia (UFBA), pesquisador concursado do Ministério da Agricultura, tendo sido lotado no Instituto Agronômico do Leste (IAL), em Cruz das Almas-BA, atual Centro Nacional de Pesquisas em Mandioca e Fruticultura da EMBRAPA. 

Suas expedições levaram-no a montar o Herbário IAL com aproximadamente dez mil exsicatas. Esse material foi posteriormente transferido para o Herbário da UFBA (ALCB). O prof. Geraldo, como era conhecido, foi ainda consultor e assessor do Projeto RADAMBRASIL, ajudando também a criar o Herbário do IBGE (HRB) com mais de 50 mil exemplares coletados em todo o Brasil e que atualmente encontra-se no Jardim Botânico de Salvador após doação do seu acervo.

Foi ainda membro do Comitê Assessor de Botânica do CNPq durante vários anos e Presidente da Sociedade Botânica do Brasil. Era profundo conhecedor da flora baiana e um excelente fitotecnista, envolvendo-se em programas de melhoramento do dendê e do cacau, entre outras culturas agrícolas importantes. Identificou, durante vários anos, cacaueiros de alta produtividade na zona cacaueira da Bahia, selecionando doze indivíduos de produtividade excepcional que foram repassados à Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (CEPLAC), quando de sua criação em 1962.

Essas matrizes foram largamente empregadas nos programas de melhoramento da CEPLAC e, ainda hoje, encontram-se na Estação Experimental de Jussari-BA. Encontrou um cacaueiro mutante com frutos sem sementes e polpa bastante desenvolvida durante suas expedições de coleta na zona cacaueira. Também descobriu a batata-da-serra (Ipomoea pintoi O’Donnell) e o amendoim-forrageiro (Arachis pintoi Krapov. & Gregory), uma na Chapada Diamantina e outra em Belmonte (na foz do Rio Jequitinhonha).

A convivência com o Prof. Geraldo, os seus feitos para a flora da Bahia e as contribuições para o conhecimento das espécies vegetais da Bahia e as culturas importantes na economia da Região Sul e Extremo Sul da Bahia, levaram à homenagem do herbário da UFSB com o seu nome.