A foto mostra um close das mãos de Uallas. ele demonstra o uso do scanner de voz Alladinn

Edital de bolsas destinou recursos do PNAES para monitoria inclusiva

6 de abril de 2017   //   Por:   //   Informativo, Notícia

A inclusão de pessoas com deficiências no ambiente educacional é um desafio cuja superação requer bom uso dos recursos públicos, entre outros atributos. É o caso do edital Prosis nº 02/2017, destinado a selecionar bolsistas para monitoria inclusiva no Campus Jorge Amado, da UFSB. Com recursos do Plano Nacional de Assistência Estudantil (PNAES) definidos de acordo com os casos a atender, é possível dimensionar o apoio a ser prestado.

Conforme o coordenador de Qualidade de Vida da Pró-Reitoria de Sustentabilidade e Integração Social (Prosis), Jorge Luiz Santos Guimarães, no edital Prosis nº 02/2017 foram selecionadas duas bolsistas cujas atribuições incluem a produção de material didático adaptado, a monitoria e apoio na realização de eventos e ações relacionadas à temática de inclusão social e acessibilidade na UFSB. A previsão é de uma carga horária média de oito horas semanais, com vigência de um ano e possibilidade de prorrogação anual até o máximo de três anos. A bolsa vale R$ 400,00 mensais.

Dentre as funções previstas no edital está a geração de material didático adaptado, podendo empregar a Sala de Recursos Multifuncionais do CJA.

A geração de material adaptado e o apoio no uso dos equipamentos de tecnologia assistiva adquiridos pela UFSB serão funções dos bolsistas, que vão prestar apoio a um aluno com baixa visão que estuda no CJA. A orientação das bolsistas está a cargo do professor Joel Pereira, docente com conhecimento e experiência sobre acessibilidade e inclusão no ensino superior.

O coordenador Jorge Guimarães explica que futuros casos de necessidade de apoio a estudantes com deficiências poderão ser atendidos com editais semelhantes, com o número de bolsas definido em acordo com a quantidade de alunos naquela situação. A ideia é que os estudantes atendidos via edital cheguem à autonomia, de fato inclusos. Já existe uma proposta de criação de um setor especialmente dedicado à temática da acessibilidade, a exemplo de outras IFES que já acolhem mais estudantes com deficiências. Isso faz sentido em um cenário no qual a educação básica se esforça para consolidar a inclusão e mais alunos se preparam para ingressar no ensino superior.