13592218_1003452209772565_1611869682078394777_n (1)

SBPC 2016 abriu oficialmente em Porto Seguro

4 de julho de 2016   //   Por:   //   Notícia

Com o tema “Sustentabilidade, Tecnologias e Integração Social”, evento aguarda 20 mil visitantes até o dia 9.

A 68ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC 2016) começou na quinta-feira (1º), com as atividades da SBPC Educação, em Teixeira de Freitas, com uma agenda crítica e construtiva para a Educação e uma participação de pesquisadores, docentes e alunos bem acima do previsto. Mas foi a Sessão de Abertura, no Campus Sosígenes Costa da UFSB, em Porto Seguro, que deu a medida da dimensão do evento, o maior em sua área na América Latina. A solenidade ocorreu neste domingo (3), no Auditório Monte Pascoal 1, e foi transmitido ao vivo pela Internet.

A abertura iniciou com a apresentação de arranjos clássicos para diversas músicas nacionais, dentre elas Asa Branca e Baião, provocando o público a acompanhar a melodia com palmas, aplausos em pé e pedido de bis. O show ficou a cargo dos músicos da Orquestra Jovem de Trancoso. O momento de atrações culturais prosseguiu com o Coral Municipal de Porto Seguro, que também entoou o Hino Nacional.

Na abertura, Cláudia Levy, secretária geral da SBPC, saudou os participantes e a organização do evento, destacando a UFSB como sede da 68ª Reunião Anual. Depois da composição da mesa de honra (veja a lista), Levy anunciou a decisão da SBPC pela realização de um ato público em defesa da Ciência e da Tecnologia, para o dia 4 de julho, durante o evento. Dentre as demandas, o retorno dos financiamentos de pesquisas e bolsas e a volta do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação como pasta específica. O governo federal interino decidiu pela fusão do MCTI com a pasta de Comunicações em maio, fato que somado ao contingenciamento de verbas para C&T gerou fortes manifestações da plateia em diversos momentos da solenidade. Cláudia Levy agradeceu ainda os apoios institucionais de ministérios, órgãos federais, estaduais e municipais para a preparação da SBPC 2016.

Homenagens

Dois cientistas brasileiros foram homenageados durante a solenidade, com a leitura de textos sobre suas trajetórias acadêmicas, pessoais e políticas e a entrega de placas referentes a essas honrarias.

William Saad, médico, pesquisador e gestor, foi lembrado em texto que narrou seu papel como gestor da Fapesp, reitor da UFSCar e sua atuação política em defesa do fomento e do desenvolvimento científico. Saad também teve papel destacado como pioneiro da área da Bioética no Brasil e na organização de um modelo de estrutura e funcionamento dos comitês de ética. Uma placa foi entregue à filha, Camila Saad, que em seguida agradeceu a honraria em nome da família. 

O professor Ângelo da Cunha Pinto, docente titular de UFRJ e químico por formação, foi também agraciado com uma leitura sobre sua atuação como pesquisador nas áreas de Química e produtos naturais, Química Medicinal, Educação para a Química e políticas de C&T, e como gestor na Sociedade Brasileira de Química (SBQ).  

A atuação da SBPC e a preparação do evento

Após as homenagens, a presidente da SBPC, Helena Nader, discursou saudando a presença expressiva de estudantes, pesquisadores e autoridades ao evento. Segundo Nader, graças à mobilização institucional da UFSB, na pessoa do reitor Naomar, mais oito instituições de ensino superior da Bahia uniram forças para a realização da edição. Os agradecimentos também foram dirigidos às equipes que trabalharam na estruturação do evento.

Nader relacionou os recentes desenvolvimentos de embates políticos, como a xenofobia, o racismo, e o recente referendo do Brexit ao momento de tensão e polarização no Brasil, diante da crise política. Ela destacou o papel da SBPC na resistência aos ataques contra a democracia e a organização especializada para o fomento da C&T, criticando a recente fusão dos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação e das Comunicações e os cortes de recursos financeiros para programas de fomento à produção científica e tecnológica.

Nader também falou do posicionamento da SBPC contra a interferência estatal no ambiente pedagógico, na tentativa de
controle político da sala de aula e posturas anti-científicas por parte do governo, como divulgação do criacionismo, bem como contra a PEC 143/2015, afirmando que caso seja aprovada, haveria uma queda dos recursos destinados à educação, saúde e CTI. Além disso, expôs o firme posicionamento pelo retorno do MCTI como pasta específica para a área.

O reitor da UFSB, Naomar Monteiro de Almeida Filho, lembrou de sua primeira participação em uma reunião anual da SBPC, nos anos 1970, durante a ditadura militar. Essa memória foi relatada para dizer aos estudantes que certamente eles lembrariam deste evento, pela intensidade do momento político nacional. Naomar reforçou a defesa da democracia e do diálogo na condução do país e dos assuntos relacionados à educação e à produção científica.

A decisão da UFSB em sediar a SBPC foi comentada, pela complexidade do compromisso assumido. Conforme o reitor, a ideia inicial era candidatar a UFSB para sediar a SBPC em 2018, quando a instituição estará com sua infraestrutura mais adequada. No entanto, depois que outras instituições decidiram retirar suas candidaturas, a universidade aceitou a demanda e iniciou o trabalho conjunto com a SBPC. Por isso, o reitor agradeceu aos servidores envolvidos na organização dos recursos, na coordenação do evento e nas várias tarefas requeridas para preparar o campus. Naomar mencionou especialmente os alunos da UFSB, muitos deles nativos da região, o índice de 98,7% de docentes com doutorado e a recente conquista da autorização de funcionamento do Programa de Mestrado e Doutorado em Estado e Sociedade, que funcionará no Campus Sosígenes Costa, em Porto Seguro.

O 36º Prêmio José Reis de Divulgação Científica foi agraciado a Luísa Massarani, da Fiocruz, na categoria pesquisador e escritor, em referência ao seu trabalho como divulgadora de ciência e suas pesquisas sobre a comunicação de C&T. O prêmio é distribuído em um sistema de rodízio anual entre três categorias: jornalista, instituição e pesquisador e escritor.

A seguir, os demais componentes da mesa de honra discursaram brevemente. O destaque para o papel das instituições de ensino superior no sul da Bahia, críticas à fusão do MCTI com a pasta de Comunicações e aos contingenciamentos de verbas, o pedido por mais diálogo com setores da população, mais recursos para educação, pesquisa e tecnologia foram alguns dos temas das manifestações da plateia e das falas ao microfone.

Após o discurso do ministro Gilberto Kassab, no qual ele anunciou o trabalho pelo aumento dos recursos para a área de C&T, acompanhado de forte reação da plateia, a presidente da SBPC convidou o público para um ato em comemoração aos 100 anos da Academia Brasileira de Ciências, a ser realizado .

Dias de ciência e integração 

Mais de 20 mil pessoas. Essa é a expectativa da organização da SBPC 2016 para o total de visitas para os sete dias do evento, incluindo cientistas, professores, estudantes, imprensa e a comunidade local. Com uma grande infraestrutura modular montada no entorno do pavilhão de exposições, as ocas construídas para as atividades da SBPC Indígena e uma praça de alimentação com grande variedade de opções, os visitantes terão muito o que ver e comentar.

Na tenda da ExpoTec, a mostra de ciência e tecnologia, diversas instituições apresentam seus serviços em prol da expansão e da aplicação do conhecimento, do financiamento de estudos ao desenvolvimento de produtos. A SBPC Jovem, dirigida especialmente aos estudantes do Ensino Médio, tem exposições de experimentos e projetos. A sessão de pôsteres, as atividades da SBPC Indígena, da SBPC Artes e da SBPC Cultura também vão movimentar o campus Sosígenes Costa durante o evento. 

Um mapa da SBPC 2016 pode ser consultado aqui. A grade de atividades está neste link